POLÍTICA: Eleição de delegados vilaverdenses ao Congresso distrital da JS «ferido de ilegalidade»

A Comissão Nacional de Jurisdição da JS ordenou que seja considerada inválida a eleição de delegados ao Congresso da Federação de Braga da Concelhia de Vila Verde, em virtude de o acto estar «ferido de ilegalidade».

No despacho, a que “O Vilaverdense” teve acesso, aquela Comissão ordena ainda que os militantes Alexandre Lopes e André Carvalho, respectivamente presidente da Mesa da Assembleia e presidente da Comissão Política da JS Vila Verde, sejam constituídos arguidos.

«A eleição de delegados da Concelhia de Vila Verde ao Congresso da Federação de Braga está ferida de ilegalidade, uma vez que não respeita o direito de militante a ser candidato a órgão da Juventude Socialista nos termos dos seus Estatutos», entende a Comissão Nacional de Jurisdição.

Em causa está o facto de não ter sido admitida uma outra lista, liderada pela militante Raquel Cunha, na eleição dos delegados da Concelhia de Vila Verde ao Congresso Federativo de Braga, cujas eleições decorreram no dia 27 de Dezembro, na sede da Concelhia.

A Comissão Nacional de Jurisdição deu como provado que essa lista foi apresentada de forma válida, através de um “e-mail” enviado para a própria Comissão Organizadora do Congresso Federativo de Braga, no dia 25 de Dezembro, em virtude de a sede da Concelhia se encontrar fechada.

«Os documentos enviados confirmaram que a militante Raquel Cunha enviou a sua candidatura atempadamente para o “e-mail” da COC e que o mesmo órgão o remeteu ao presidente da Mesa da Assembleia Concelhia de Vila Verde», lê-se no despacho.

No entanto, no dia da eleição, o presidente da Mesa da Assembleia, «aconselhado pelo presidente da Concelhia», que deu início à eleição apenas com uma lista a votação, «ignorando a existência de outra candidatura».


VISADOS VÃO RECORRER E NEGAM ILEGALIDADES

Os dois dirigentes da JS Vila Verde visados pela Comissão Nacional de Jurisdição, Alexandre Lopes e André Carvalho, vão recorrer da decisão e garantem estar de «consciência tranquila», refutando a existência de qualquer ilegalidade.

«O que se passou foi muito simples: houve uma lista apresentada fora de prazo e que nem sequer foi entregue ao presidente da Mesa. Estamos de consciência tranquila», disse, ao jornal “O Vilaverdense”, André Carvalho.

De acordo com o responsável, «o fundamento da denúncia é totalmente aleatório e injustificado», porque «não existe evidência da tentativa de contacto», além de que é necessário que a denúncia seja apresentada por membros internos da Concelhia de Vila Verde, «o que não aconteceu».

---
FOTO: Arquivo

---
Ricardo Reis Costa (CP 10478)
ovilaverdense@gmail.com

    Jornal o VilaVerdense
8 de Janeiro de 2018 / 10:37

Partilhar no Facebook  Partilhar no Facebook


Outras notícias

-Estudo pioneiro sobre "tablets" junta universidades do Minho e de Harvard e a multinacional Microsoft

-Projecto MOVBIO apresentado e a decorrer na Câmara Municipal

-VILA VERDE: Novo logótipo do Município inspirado nos Lenços dos Namorados

-VILA VERDE: Alexandre Mendes fala sobre empreendedorismo este sábado, na Biblioteca Municipal

-Ministério do Ambiente vai dragar a foz do rio Cávado em Esposende

-LOUREIRA: Novo acidente com três carros junto a pastelaria

-ÚLTIMA HORA: Infraestruturas de Portugal já adjudicou construção de rotunda na Loureira / Câmara queria intervenção mais abrangente

-“Noite de Reis - Cantares do Ciclo Natalício” sábado no Centro de Artes e Cultura

-União de Freguesias de Pico de Regalados, Gondiães e Mós com novos Brasão, bandeira e selo

-“A Luz do Novo Ano” este sábado na Biblioteca Municipal

-Município de Vila Verde acolhe amanhã Workshop do Projecto MOVBIO

-Missa de Acção de Graças do 1º aniversário da fundação do Grupo Folclórico União de Tradições

-MARRANCOS: Festas em honra de São Brás 2018 nos dias 2, 3 e 4 de Fevereiro

-Filomena Costa madrinha do 1º Trail Solidário dos Bombeiros de Braga

-Planetário – Casa de Ciência de Braga e Hospital assinam Protocolo

-LOUREIRA: Apelo de filha de Francisco Gomes lança onda de solidariedade a exigir obras na EN 101

-BARCELOS: Falhou acordo entre Câmara e 19 moradores de loteamento construído por empresa de Vila Verde

-Estaleiros municipais de Braga com melhores condições de conforto e segurança

-Dormidas no Norte batem recorde em Novembro e superam média nacional

-SAÚDE: Hospital da Misericórdia com novo laser de alta intensidade e ondas de choque

-InvestBraga debate projectos em Conselho Estratégico

-”Fórum Vocacional” preencheu a manhã da Escola Secundária de Vila Verde

-MÊS DO ROMANCE: Mais de 100 iniciativas em 38 dias dedicados ao amor

-VILA DE PRADO: Feira dos Vinte arranca já na sexta-feira

-GNR: Apreendidas diversas armas de fogo em Barcelos

-Embaixadora da Ucrânia condecora eurodeputado José Manuel Fernandes

-Instituto Confúcio da UMinho promove as primeiras provas a 24 de março

-TRIBUNAL: Vilaverdense apanhado com tocha conseguiu suspensão de processo

-POLÍTICA: José Morais recandidata-se para «dar continuidade ao crescimento» do PS

-Projecto da EPATV sobre o Gerês recebe prémio da Fundação Ilídio Pinho









Jornal O Vilaverdense