BRAGA: Defesa de Mesquita Machado quer provar que “negócio das Convertidas” não beneficiava família

João Tinoco de Faria, o advogado de defesa do ex-presidente da Câmara de Braga, o socialista Mesquita Machado, e os restantes juristas que defendem os cinco ex-vereadores, com destaque para Artur Marques, que representa o ex-vice-presidente, Vítor Sousa, têm tentado demonstrar a validade da tese do principal arguido, a de que não havia qualquer interesse pessoal ou familiar no chamado “negócio das Convertidas”, uma operação imobiliária de regeneração urbana em que a Câmara investiria três milhões de euros.

O julgamento tem apenas marcadas duas sessões antes do acórdão final. A última, a de alegações finais a 6 de Fevereiro.

A acusação sustenta que o ex-autarca urdiu uma estratégia – a compra de três prédios - por três milhões de euros - para tentar salvar o genro, José Pedro Castro Rodrigues, e a filha que podiam ficar sem todos os bens pessoais – incluindo uma farmácia - , por causa de dívidas de 2,6 milhões de euros ao BCP e mais dois milhões a Manuel Duarte, um empresário da cidade.

Tese que o próprio, e a defesa, rebatem: “nunca” a filha ou o genro lhe pediram ajuda para resolver os problemas da empresa CCR II a quem a Câmara iria comprar três propriedades – imóveis e terrenos no quarteirão das Convertidas. Bens que – sublinhou – já nada tinham a ver com a família dado que o genro passou as suas acções na CCR II ao sócio, e este, por sua vez, assumiu a dívida a Manuel Duarte.

Contra-argumentou a afirmação do MP de que a Pousada da Juventude, que pretendia construir nos prédios anexos ao antigo Convento das Convertidas, ficaria mais cara do que a que esteve prevista para ser instalada noutro Convento, o de São Francisco: «a candidatura a fundos comunitários para São Francisco nem foi aprovada», disse.

Neste ponto, o MP sustenta que a Câmara conseguiria um financiamento de 1,5 milhões para construir a pousada no Convento de São Francisco, uma obra que estava avaliada em 1,8 milhões, só tendo o município de entrar com a diferença. Acrescenta que a construção da pousada no "quarteirão das Convertidas" implicava um investimento de sete milhões de euros. Ou seja, o erário público era prejudicado.

Mesquita Machado contrapôs, ainda, que a compra dos três prédios – que não se efectivou porque o Tribunal Administrativo anulou o negócio e devolveu o cheque – serviria, também, para a instalação de outras estruturas, da abertura ao público de jardins românticos e para o Museu da Cidade.

Garantiu que o Convento - que está em estado de decrepitude e se tornaria Museu – seria cedido à Câmara pelo Ministério da Administração Interna, conforme promessa telefónica do então ministro, o bracarense Miguel Macedo. Mas sem nada escrito, frisou o MP.

Mesquita Machado desmentiu, ainda, a alegação de que os prédios valeriam apenas 694 mil euros, - avaliação do BCP - afirmando que o mesmo banco tinha feito uma «avaliação comercial real» de 3,9 milhões com base na qual foi constituída uma hipoteca de dois milhões. E – disse – as duas avaliações feitas por peritos chegaram aos três milhões.

    Jornal o VilaVerdense
13 de Dezembro de 2017 / 15:48

Partilhar no Facebook  Partilhar no Facebook


-Vilaverdenses na final do maior torneio de golfe amador

-Se comprou uma placa “Eldslaga” no IKEA deve contactar a empresa

-VILA VERDE: Não há recolha de lixo nos dias 25 de Abril e 1 de Maio

-Governo reduz impostos a senhorios com contratos superiores a dez anos

-VILA DE PRADO: Jogos de Tabuleiro motivam encontro familiar na Biblioteca

-INCÊNDIOS: Bombeiros combatem chamas em Pedregais

-Alunos da EPATV organizaram Tertúlia “Cozinha, do Tradicional ao Contemporâneo”

-TRIBUNAL: Empresa contesta concurso da BRAVAL para contratação de 42 trabalhadores

-SANEAMENTO: Obra de mais de 780 mil euros em curso em Cabanelas

-LOUREIRA: Encontro de Concertinas no dia 25 de Abril

- GNR: 148 detidos em flagrante no fim-de-semana

-REGIÃO: Buscas por pescador desaparecido sábado no rio Minho retomadas

-“Semana da Saúde” até sexta-feira na ESVV

-BRAGA: Museus D. Diogo e Pio XII cedem peças para mostra em Ourense sobre reino suevo

-DESTAQUE: Tradição e muita gente no VI Festival de Folclore do Vale do Homem

-BRAGA: Concerto ‘Outro Tempo, José Afonso’ marca comemorações do 25 de Abril

-CRIME: Vilaverdense detido em Amares na posse de 95 gr de haxixe

-CABANELAS: “Sopas e Caldos” para juntar comunidade e angariar verbas

-AAUMinho arrecada bronze no basquetebol masculino

-ACTIVIDADE GNR: 46 pessoas detidas nas últimas doze horas… um morto e três feridos graves em 64 acidentes de trânsito

-BRAGA: Câmara promoveu formação em animação Stop Motion para prof’s

-FUTEBOL (Pró-Nacional): GD Prado com teste de fogo frente ao Taipas

-FUTEBOL (I Divisão): Lanhas quer surpreender o líder

-VILARINHO: Associação assinala Dia da Mãe no primeiro fim-de-semana de Maio

-SOLIDARIEDADE: JS Vila Verde entrega bens na Loja Social de Prado

-Autarcas monárquicos entregaram «medalha de honra» a Miguel Albuquerque, Presidente da Madeira

-DESTAQUE: Câmara de Braga dá cheque veterinário a famílias carenciadas

-REGIÃO: ISAVE promoveu seminário sobre Literacia em Saúde

-BRAGA: Luís Represas visitou crianças no Serviço de Pediatria

- ACTIVIDADE GNR: 36 detidos nas últimas 12 horas









Jornal O Vilaverdense