António Cunha apresentou o seu mais recente livro “O Caminho dos Judeus”

O escritor autodidacta António Cunha apresentou durante a tarde deste sábado, 18 de Novembro, o seu mais recente livro, denominado por “O Caminho Do Judeus”.
O espaço escolhido para a apresentação foi ao ar livre, na freguesia de Travassós, num local onde terão passado os Judeus, assunto desta obra do escritor.
Destaque ainda para a presença da vereadora da cultura do Município de Vila Verde, Júlia Fernandes, para o presidente de junta da União de Freguesias de Esqueiros, Nevogilde e Travassós, Vítor Mota e ainda Johanna Cunha, ilustradora do livro e filha do autor.

Em declarações prestadas ao Jornal OVilaverdense, António Cunha realçou «o passado riquíssimo no sentido histórico desta freguesia, onde se encontram coisas interessantes acerca do início do caminho dos judeus e provas da sua passagem».

O autor sublinhou ainda que este «é um livro a sério. A informação não deixa dúvidas, tem esse valor», acrescentando que também serviu de «homenagem à pessoa que me ensinou tudo isto, o meu pai».

Por último, o autor não esqueceu a importância da obra para a freguesia mas também para o concelho, «é um meio para promover Vila Verde e Travassós. É um livro pequeno mas com muito conteúdo», rematou.

Ao longo da apresentação, a vereadora da cultura, Júlia Fernandes, destacou a escolha do local para a apresentação. «Foi uma excelente ideia estarmos aqui, justamente no local, onde, se conseguirmos recuar alguns anos atrás, compreendemos a passagem destas pessoas».

Quanto ao autor, a vereadora não teve dúvidas acerca do seu papel na freguesia e no concelho. «É sempre um gosto acompanhar o trabalho deste homem, que se esforça, que luta, que trabalha, que se empenha e acima de tudo que nunca desiste, é persistente e resistente. Hoje temos aqui um relato de historias verdadeiras que resultam da investigação e do seu trabalho. Falou com as pessoas certas e reuniu as provas, documentando tudo isso no seu livro», disse a vereadora.

Júlia Fernandes terminou a sua intervenção frisando a importância da obra, pois agora «ficamos com um documento que vai servir para contar a historia da nossa terra. Aquilo que dizemos sempre, um povo que não conhece o seu passado não sabe viver o seu presente e não sabe nunca projectar o seu futuro. É muito importante saber quem somos, quem fez de nós aquilo que somos e para onde queremos ir, com o conhecimento que temos da nossa terra e do nosso País», afirmou.

O presidente de junta da União de Freguesias de Esqueiros, Nevogilde e Travassós, Vítor Mota, também deixou o seu testemunho durante a sessão, sublinhando a «capacidade e a dinâmica» do autor. «O António Cunha tem sempre estas brilhantes ideias, algo que para mim, enquanto presidente de junta, é um orgulho enorme. Ter pessoas na freguesia que possam partilhar connosco todos os seus saberes e tudo o que foi a história destes locais é sempre um prazer. Este homem promove a freguesia de uma forma única, quer ao nível cultural quer ao nível recreativo».

A ilustradora do livro, Johanna Cunha, filha de António Cunha, falou também durante a apresentação do livro, dizendo que «procurámos contar historias que vão passando de pais para filhos, de geração para geração, algo que achamos que é importante. As nossas memórias e os nossos valores. Aquela história que nos ensinam na escola é o que nos define como País e o que somos aos olhos do mundo. A responsabilidade do que vamos deixar de nós para o futuro é inteiramente nossa e espero que sejamos lembrados pela hospitalidade, pela gentileza e pelo respeito pelo outro acima de qualquer outra coisa».

---
Pedro Nuno Sousa
ovilaverdense@gmail.com