ALERTA: Portugal é o país europeu que mais usa herbicida que pode provocar cancro

Onze associações ambientalistas e agrícolas portuguesas exigem ao governo que se junte esta quinta-feira aos países que vão votar contra a proposta da Comissão Europeia para prolongar por cinco anos a licença de utilização do glifosato, um herbicida classificado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como provável causador de cancro nos humanos, avança a TSF.

O apelo é assinado por organizações como a Quercus, Confederação Nacional da Agricultura ou Liga para a Protecção da Natureza juntas na Plataforma Transgénicos Fora, mas o Ministério da Agricultura, contactado pela TSF, opta por guardar o anúncio da posição portuguesa apenas para o momento da votação, depois de no passado se ter abstido numa votação semelhante.

Se não for alargada, a licença de uso do glifosato na Europa acaba a 15 de Dezembro.

Entre os vários argumentos apresentados, os ambientalistas dizem que Portugal é o país europeu onde mais se usa o glifosato e apresentam um estudo acabado de publicar por uma equipa internacional de investigadores na revista académica ‘Science of the Total Environment’ que encontrou níveis elevadíssimos de glifosato nas amostras recolhidas em solos agrícolas portugueses, nomeadamente em vinhas da zona Centro na Bairrada.

A TSF falou com uma das portuguesas envolvidas neste estudo, Vera Silva, investigadora na universidade holandesa Wageningen, que confirma que os resultados das 17 amostras recolhidas em solo nacional são um indicador preocupante: 53% tinham o herbicida, muito mais que o segundo país mais contaminado (30% em França), tendo também as maiores quantidades de glifosato no solo.

Apesar de não representar o todo dos solos portugueses, Vera Silva argumenta que estes dados nacionais, nunca antes avaliados, são um indicador do que pode estar a acontecer noutras zonas do país, numa opinião partilhada pelas 11 associações da Plataforma Transgénicos Fora.


GLIFOSATO NA URINA

Em nome da Plataforma Transgénicos Fora, a ambientalista Margarida Silva lamenta a falta de estudos oficiais do Estado sobre o glifosato em Portugal e defende que os dados do trabalho recente sobre os solos “estão alinhados com os valores conhecidos de contaminação humana”, sublinhando que em 2016 um levantamento que fizeram mostrou níveis inesperadamente elevados deste herbicida na urina de todos os voluntários testados, com os portugueses a apresentaram, em média, vinte vezes mais glifosato que os alemães.

As associações defendem que “enquanto o Ministério da Agricultura não souber explicar como é que Portugal ficou tão contaminado por glifosato e não implementar medidas que reduzam drasticamente este problema, é impensável permitir que a utilização generalizada na agricultura, nas ruas e até para fins domésticos possa continuar”, recordando que a OMS já provou que o glifosato causa cancro em animais de laboratório.

---
Redacção/FG (CP 1200)
ovilaverdense@gmail.com

    Jornal o VilaVerdense
9 de Novembro de 2017 / 17:42

Partilhar no Facebook  Partilhar no Facebook


Outras notícias

-MÊS DO ROMANCE: Academia de Música brilhou em noite de Concerto de Gala

-Vale do Homem unido em torno do novo líder do PSD (Rui Rio) / Afinal…Rui Silva não figura entre os principais nomes dos órgãos nacionais

-Amélia Gomes celebra hoje 100 anos

-MÊS DO ROMANCE: Orlando Ventura apresentou nova linha “Amor Envolvente”

-DESTAQUE: Câmara de Braga reconhece 46 lojas como de interesse histórico, cultural ou social

-GNR: 24 detenções na última noite

-PSD: Rui Rio integra militantes de Braga nos órgãos nacionais; Vilaverdense Rui Silva é hipótese

-MÊS DO ROMANCE: Chá de tília e Pão-de-ló “água na boca” apresentados no Palácio da Brejoeira (Monção)

-LANHAS: Bispo de Braga em visita pastoral à paróquia

-BRAGA: Câmara introduz novas regras de acesso automóvel no centro histórico

-CRIME: Homem detido em Vila Verde por violência doméstica

-BRAGA: Campeões da Europa de futsal recebidos no Theatro Circo na segunda-feira

-GNR deteve 406 pessoas em flagrante delito ao longo da semana

-ESQUEIROS: Bispo Auxiliar de Braga visitou Jardim-de-Infância e EB1

-MÊS DO ROMANCE: “Já Namoras 2018” - Utensílios únicos na linha do Amor

-VILA VERDE: Bombeiros têm novo veículo de combate a incêndios

-Ministro Manuel Heitor assinala na UMinho nova fase do Programa MIT Portugal

-DESPORTO: Tribunal iliba polícias acusados de agredir e cegar adepto em Guimarães

-Farmácias de Braga e Barcelos aderem à Jornada de Recolha de Medicamentos deste sábado

-VILA VERDE: Oficina Arquimedes “Amor com Cheiro” no sábado

-INCÊNDIOS RURAIS: Acções de sensibilização para limpeza de terrenos arrancam hoje

-CRIME: 34 imigrantes ilegais trabalhavam em empresas de Famalicão e da Trofa

-Novas regras para limpeza das matas entram em vigor com aumento da distância entre pinheiros e eucaliptos

-ATÃES: Alunos do Jardim-de-Infância criaram “Hino dos Heróis da Fruta”

-VILA DE PRADO: População alarmada com queda de azulejos de prédio

-BRAGA: Imobiliárias pedem oito milhões à Câmara no caso do nó de Ínfias

-MÊS DO ROMANCE: “S. Valentin Breakfast Day” e “Aromas com Amor” duas iniciativas em conjunto com os alunos da EPATV

-CERVÃES: EB1 de Sobral premiada a nível nacional pela Missão UP "Natal sustentável”

-CRIME (Justiça): Julgados em Maio quatro homens apanhados a falsificar notas e moedas em Braga e Vila Verde

-SAÚDE (Minho). Cardiologia de Guimarães vai ter Unidade de Diagnóstico e Intervenção Cardiovascular









Jornal O Vilaverdense