Prisão preventiva para os três detidos pela plantação de canábis em Vila Verde

Os três homens detidos quarta-feira pela GNR por suspeitas de plantarem canábis, nos arredores de Vila Verde, ficaram todos em prisão preventiva, determinou ao princípio da noite o juiz de instrução criminal de Braga depois dos seus interrogatórios, ficando em reclusão até ao seu julgamento.


Os três suspeitos, com idades entre 23 e 44 anos, os três suspeitos foram alvo de buscas domiciliárias, do Núcleo de Investigação Criminal (NIC) da GNR de Braga e do Posto Territorial da GNR de Vila Verde, tendo confiscado 195 plantas de canábis, um sistema para secagem das plantas, um gerador elétrico, um extrator de fumos, objectos usados para o cultivo de droga, uma carabina e munições.

A operação foi realizada depois dos militares confirmarem a existência de cerca de 220 plantas de canábis, ainda em estado de maturação, nos arredores de Vila Verde, levando à detenção imediata dos três suspeitos, apanhados em flagrante delito pelos operacionais da Guarda Nacional Republicana.

Os elementos de prova e outros fortes indícios recolhidos e já sistematizados em tempo útil pelos militares do Comando Territorial da GNR de Braga foram bastante decisivos para o Ministério Público propor a prisão preventiva de todos os três suspeitos, ao final da tarde desta sexta-feira, a que ao princípio da noite aderiu o juiz de instrução criminal da Comarca de Braga.

---
Redação/ Joaquim Gomes ( CP 2015)
ovilaverdense@gmail.com